BRAntenas - Qual é a melhor?

A ChipBrasil, após estudos e ensaios técnicos, homologou o uso de dois tipos de antenas para a apuração de eventos esportivos das mais diversas modalidades. São elas as antenas de solo e antenas laterais. Aí aparece a dúvida: qual é a melhor? Já avisamos que não existe certo ou errado e nem melhor e pior, mas sim a mais adequada para cada situação. É o conjunto que faz a eficácia chegar ao nível mais alto, de 99,5%.


Antenas de solo:

Estas antenas são adequadas para eventos de pedestrianismos, como o esporte que mais realizamos apuração, que são as corridas de rua (maratonas, meias maratonas, 10k, 5k etc). São recomendadas para eventos que vão desde 50 atletas até 20 mil pessoas.


Esta recomendação é porque o campo magnético que faz a captação da tag fixada no número de peito do atleta não fica obstruída em nenhum momento. Mesmo com uma densidade grande de atletas, sempre que ele passa pelas antenas, tem pelo menos 50cm livres na frente dele para que seja feita a captação correta da sua tag.


Antenas circulares são indicadas para eventos de corrida? Sim, podem ser utilizadas, mas a partir de uma certa quantidade de atletas, elas correm o risco de ter o campo magnético bloqueado, já que uma pessoa diretamente na frente da antena pode causar o bloqueio das ondas circulares da antena. Com uma densidade alta, este campo ficará prejudicado e os atletas mais ao centro na passagem podem não ter sua tag devidamente captada. Há o risco ainda de pessoas que não são atletas (fotógrafos, árbitros, diretores técnicos e staffs) pararem involuntariamente à frente destas antenas e bloquear quase que por completo o campo magnético e assim prejudicar todo o desempenho da antena. É uma preocupação a mais que não traz benefício.


Para eventos menores, abaixo de 500 atletas, a portabilidade destas antenas é um fator positivo. Eventos pequenos tem menos pessoas envolvidas e é mais controlável pela equipe organizadora e pelos técnicos de cronometragem. Neste caso, a facilidade de montagem e portabilidade se justifica.


Também é utilizada nos pontos de controle, também pelo quesito portabilidade. Facilmente é possível montagem um ponto de checagem, mas é preciso ficar atento a densidade de participantes. Em densidades grandes de atletas (acima de mil atletas) recomenda-se o uso de antenas de solo para maior segurança.


Também é possível uso híbrido, sendo duas antenas circulares e duas antenas de solo. Não há ganho em relação ao campo magnético para captação, porém tem-se um sistema com maior portabilidade. De qualquer forma, é necessário observar a quantidade de atletas. Não recomendamos para eventos com mais de mil participantes.


Antenas Laterais: As antenas laterais são indicadas para locais onde não se tem uma superfície plana para a acomodação das placas e/ou eventos que não podem ter barreiras na linha de checagem, como o ciclismo e a patinação.


Geralmente, estes eventos são de baixa densidade e não há risco de haver bloqueio de campo magnético pela massa de pessoas. Eventos de ciclismo utilizam o chip fixado na bicicleta e a interferência do corpo humano é menor ainda, trazendo assim maior capacidade de captação.


Por ser portáteis, são utilizadas também em eventos pequenos de pedestrianismos (corridas de rua, maratonas, meia maratonas etc). São recomendadas para eventos de até 500 pessoas por ter baixa densidade.


Eventos como Corridas em Trilhas, Montanha, Maratonas Aquáticas e Travessias são competições ideais para o uso das antenas laterais. Normalmente estes terrenos não tem superfície plana e dificulta o uso das antenas de solo.


Considerações Finais